Governança Corporativa e TI

 

Governança Corporativa

 

A governança corporativa é o sistema segundo o qual as corporações de negócios devem ser dirigidas e controladas. A estrutura da governança corporativa especifica a distribuição dos direitos e responsabilidades entre os diferentes participantes da corporação, tais como o conselho de administração, os diretores executivos, os acionistas e outros interessados, além de definir regras e procedimentos para a tomada de decisão em relação a questões corporativas.

 

Segundo a OECD, a adoção pelas corporações de práticas de gestão confiáveis atrai investidores para o mercado de capitais, reduz o custo de captação de recursos e alavanca o desenvolvimento da economia.

No Brasil os Códigos de Governança Corporativa originaram-se em uma sociedade civil: O Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), a Bolsa de Valores de São Paulo e, finalmente, em um órgão regulador, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

O modelo mais abrangente de governança corporativa considera a força crescente de duas grandes categorias de questões emergentes: as ambientais e as sociais.

 

As concepções mais abrangentes envolvem ainda um compromisso transgeracional – a produção deve ser conciliada com os direitos das futuras gerações.

 

Governança de TI

 

“Governança de TI” é uma expressão hoje bastante difundida, mas pouco conhecida em sua essência, porém, seus processos básicos, estão cada vez mais em uso por milhares de organizações no mundo todo.

 

Governança de TI teve sua origem “acadêmica” no início da década de 1990, fundamentada na necessidade de ampliar a visão sobre os processos de “Administração / Gestão” focando principalmente na aplicação de “técnicas de governo” para controlar efetivamente as pessoas (Recursos Humanos) que exercem a Administração / Gestão de TIC, e em especial, para dar apoio à Governança Corporativa.

 

Como definição: “Governança de TI é um conjunto de práticas, padrões e relacionamentos estruturados, assumidos por executivos, gestores, técnicos e usuários de TI de uma organização, com a finalidade de garantir controles efetivos, ampliar os processos de segurança, minimizar os riscos, ampliar o desempenho, aperfeiçoar a aplicação de recursos, reduzir custos, suportar as melhores decisões e consequentemente alinhar estrategicamente TI aos negócios.” 

(Peres, João Roberto –  05/1997)

 

No contexto da Governança, o que tem encantado os executivos, são fatos constatados com a aplicação da “Governança de TI”, tais como:

  • Governança de TI possibilita demonstrar o quanto TI agrega de “Valor” aos negócios, posicionado “TI” como “insumo” ou “componente” incontestável do próprio negócio;
  • Governança de TI viabiliza “mensurar” o “Alinhamento” entre as expectativas das áreas de negócio e o atendimento efetivo dos produtos de TI, ou seja, o alinhamento “TI x Negócios”, medido, possibilitando a TI estar à frente dos negócios ou superar os anseios dos dirigentes;
  • Governança de TI é suporte indissociável da Governança Corporativa (Conselho de Administração), fornecendo e instrumentalizado via TI a Governança do Negócio (Diretoria Executiva) e permitindo que empresas sem Governança Corporativa, se prepararem efetivamente para ingressarem em IPO (Initial Public Offering), se desejarem, ou adotarem padrões de governança em empresas familiares;
  • Governança de TI efetivamente organiza melhor a área de TIC, através de melhores práticas, permitindo uma melhor gestão do Portfolio e do Backlog de projetos, garantindo a aderência a Compliance sobre padrões legais (SOx, IAS, SAS, CVM, BASEL-II...) o controle e a redução dos riscos de TIC pela melhor gestão da segurança das informações, entre outros pontos de fundamental importância;
  • Governança de TI permite exercer a governabilidade de TI sobre todos os recursos, inclusive e principalmente os humanos.

 

Produtos disponíveis em Governança:

  • Desenvolvimento de diagnóstico situacional e organizacional para Governança;
  • Programa de Aculturamento em Governança para a Alta Direção da Empresa;
  • Implantação de Bases para a Governança em Empresas Familiares;
  • Suporte a Governança Corporativa privada e pública - padrões CVM, IBGC e IBGP (13303);
  • Implantação de Padrões Mínimos de Controle fundamentados em COSO, ITIL e CobiT;
  • Desenvolvimento do PEN - Plano Estratégico de Negócios;
  • Desenvolvimento de PDTI – Plano Diretor de TI;
  • Desenvolvimento de PETI-Plano Estratégico de TI alinhado aos Negócios PEN;
  • Implantação de Escritório de Governança Operacional Corporativa e ou de TI;
  • Programa de Aperfeiçoamento da Governança - do básico, para a Governança Avançada;